Categorias
banda larga

Sky e Direct TV juntas. Enfim, a fusão. Monopólio a vista.

TV por assinatura via satélite Sky e DirectTV.

Plínio de Aguiar Júnior, presidente substituto da Anatel, divulgou que a agência (Agência Nacional de Telecomunicações) aprovou parecer favorável à fusão das operadoras de TV por assinatura via satélite Sky e DirectTV, Estas duas principais empresas do setor detêm cerca de 95% do mercado.
Pelo acordo de fusão, os 425 mil assinantes da DirectTV passarão para SKY, que atualmente já possui 829 mil assinantes.
O CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) deverá ainda analisar a fusão para avaliar se a união não fere normas da concorrência.
Nos próximos dias, a ANATAEL dará mais detalhes da operação, mas sabe-se que a agência recomendou ao CADE que conselho que imponha condições para a formalização do processo para evitar a exclusividade dos canais. Entre as restrições que foram sugeridas estão o fim da exclusividade de programação e regras para evitar aumentos abusivos de preço.
No entanto, o CADE não é obrigado a seguir as recomendações da Anatel.
O processo de fusão começou em 2003, quando a News Corp adquiriu 34% das ações da DirecTV dos EUA. Com isso, passou a ter participação indireta na DirectTV no país.
Antecipando-se ao anúncio de fusão no Brasil, a NEO TV (grupo de 51 operadoras de TVs pagas) entrou com pedido de medida cautelar no CADE, e em abril de 2004 fechou um acordo com Sky e DirecTV, no qual elas se comprometeram a seguir em operações separadas até o julgamento final da medida cautelar.
Em maio deste ano, o Grupo Bandeirantes de Comunicação recorreu ao Cade justificando que a fusão cria um monopólio.
A Neo TV, que é contra os contratos de exclusividade, afirmou que não irá se posicionar até ler o documento da ANATEL. Sky e DirecTV ainda não se posicionaram oficialmente sobre o assunto.