Google Print. Livros grátis e fora de catálogo. Biblioteca Virtual

Livros grátis acessível com apenas alguns clicks

O Google retornou a digitalizar livros, GOOGLE PRINT, para oferecê-los livremente na web, ou seja, livros grátis acessível com apenas alguns clicks. A digitalização dos livros, das cinco maiores bibliotecas dos EUA havia sido interrompida em agosto deste ano, pois muitas editoras protestaram e acusaram o Google de não respeitar direitos autorais.

O Google Print foi criado para ajudar a encontrar livros. Esta ferramenta do Google permite pesquisar informações off line que estão presentes em coleções de livros de várias bibliotecas. Além disto, existe um programa no qual os editores de livros podem cadastrar livros para serem indexados (catalogados).
O Google está comprometido em respeitar os direitos autorais de autores e editores, e quer facilitar a localização de livros, especialmente daqueles livros que não podem ser encontrados em uma livraria, que estejam fora de catálogo, ou então, que sejam de domínio público .

A idéia é criar uma grande biblioteca virtual pesquisável, que contenha todos os livros, em todas as línguas. O sistema do Google permite a visualização, na íntegra, de livros que não possuem restrições de direitos autorais, e sejam considerados de domínio público. De outro lado, dos livros que estejam protegidos por direitos autorais, permite-se apenas a visualização de certos trechos. No caso de livros que foram adicionados por editoras, é possível visualizar um número limitado de páginas.

Atualmente, o Google Print possui livros da Universidade de Michigan, da Universidade de Harvard, d Stanford University, da Biblioteca Pública de Nova York e da Universidade de Oxford.

Saiba mais sobre Google Print, informações em português, click aqui.

Como resposta a esta iniciatica do Google, países como a França, a Alemanha, Espanha, Hungria, Itália e Polônia uniram-se na iniciativa de montar uma biblioteca virtual com livros europeus. Outros países como Áustria, Eslovênia, Estônia, Bélgica, Dinamarca, Eslováquia, Finlândia, Grécia, Holanda, Lituânia, Luxemburgo, Republica Tcheca e Suécia também já manisfestaram apoio a iniciativa européia.

Segundo o presidente da Biblioteca Nacional Francesa, Jean-Noel Jeanneney, o Google Print seria “a confirmação do risco da dominação americana na definição de como as futuras gerações conceberão o mundo”. Jean-Noel Jeanneney expressou que seu temor é que a literatura, história e filosofia européias possam estar sendo reinterpretadas através de um olhar americano.

Participe da discussão

14 comentários

  1. A iniciativa do Google é elogiável, em digitalizar livros. Sou autor, e como tal, vou enviar ao Google meus modestos escritos para digitalização e vou autorizar a visualização completa! Os best-sellers já estão disponíveis de forma pirateada, e quem não abrir mão de direitos autorais, terão o mesmo fim da música e dos filmes em cds e dvds copiados ilegalmente. Espero que as autoridades brasileiras reavaliem a Lei dos direitos Autorais, urgentemente para o bem da Cultura e da Educação. No mundo globalizado não há espaços para egoismos.

  2. estou fazendo minha monografia sobre “As bases biológicas do Transtorno do Pãnico!Preciso de Referências bibliográficas.Alguém pode me ajudar?

  3. Olá,
    Estou começando meu tcc e preciso DE REFERENCIAS ou qualquer outro material com urgencia sobre MUSICALIZÇÃO NA EDUCAÇAO INANTIL,não consigo encontrar nada.
    AGRDECIDA;

    MÁRCIA

  4. gostaria de saber se vcs tem um livro chamado monografia na universidade de geraldo inacio filho e mto importanta para mim mto obrigado.

Deixe um comentário