Computador de 100 dólares.

Nicholas Negroponte planeja mostrar funcionando o primeiro protótipo.

Nicholas Negroponte planeja mostrar funcionando o primeiro protótipo do seu novo projeto, o computador de US$ 100, desenvolvido para ser um computador acessível a milhões de estudantes que não possuem renda.

Este projeto está sendo apresentado com detalhes durante o WSIS (World Summit on the Information Society) que acontece em Túnis, de 16 a 18 de novembro.

No Media Lab do MIT , laboratório de pesquisas que Nicholas Negroponte fundou a 20 anos atrás nos Estados Unidos, pesquisadores não estão somente trabalhando para tornar o produto o mais econômico possível, mas também em interfaces nas quais as crianças possam aprender sem professores.

O MIT Media Lab acredita que o notebbok é ideal, pois facilmente pode ser levado da escola para casa, incentivando um maior estudo fora da sala de aula.

O projeto prevê um processador de 500 MHz, 1GB de memória com uma tela que pode funcionar mesmo em ambientes muito claros. Assim o equipamento pode funcionar tanto como um laptop ou um e-book. Isto me recorda os e-Mate da Apple, cuja a idéia era sensacional, mas não foi adotado por seu custo ser muito alto. Por questões óbvias, o sistema operacional é Linux

A idéia de Negroponte é simples e seduz. Ele diz em uma entrevista: " Um computador para uma criança: crianças são os recursos mais preciosos que temos, e cada uma delas pode aprender sozinha e ensinar as outras crianças. Fim da estória."

Ele tenta vender os computadores aos milhões. Segundo o MIT (Massachusetts Institute of Technology) , o projeto "computador portátil por 100 dólares", no qual ele figura como desenvolvedor, é um franco sucesso. 4,5 milhões de máquinas já teriam sido encomendadas.

O Lula concordou em comprar um milhão destas maquininhas. Negroponte também esteve conversando no Chile, Argentina , Tailândia, Egito e África do Sul. A proposta é que cada país interessado pague por um milhão de unidades adiantado para garantir a produção em escala. Porém enquanto a Argentina recentemente se comprometeu a adquirir ao menos meio milhão dos computadores de 100 dólares , as autoridades chilenas não mostraram nenhum interesse nestas máquinas.

Os chilenos negaram a oferta pois alegam que estes computadores somente deverão estar no mercado em dezembro de 2006 ou janeiro de 2007, e eles não querem comprometer-se com um número de computadores que ainda não existem. Além do mais, os chilenos também levantam questões sobre seu uso educacional e sobre os conteúdos que estariam dentro da máquina.

Deixe um comentário